Damásio Caeiro sagra-se vice-campeão mundial com raquete construída por si

280

O atleta português Damásio Caeiro sagrou-se vice-campeão mundial de Ténis de Mesa Adaptado (Doentes com Parkinson), ao perder com o alemão Holger Teppe na Final do primeiro campeonato do Mundo para Doentes com Parkinson, realizado nos Estados Unidos.

Mesmo assim, o jogador de 57 anos de idade, mostrava-se satisfeito com o seu jogo, pois “o adversário é bem mais novo do que eu e tem poucas manifestações da doença”, acrescentando que “joguei regularmente durante 30 anos, mas agora já não consigo, porque a doença limita os movimentos, provoca rigidez muscular, diminui os reflexos e provoca falta de equilíbrio”.

Desempregado desde que lhe foi diagnosticada a doença, pois já não consegue conduzir a carrinha nem pode com o peso dos jornais e revistas (era distribuidor), Damásio joga Ténis de Mesa no Clube Desportivo da Costa do Estoril e no Grupo Musical e Desportivo 31 de Janeiro de Manique de Baixo, e participa regularmente no Circuito Nacional de Ténis de Mesa adaptado.

No entanto, o grande feito de Damásio é a construção da raquete ideal para si, já que o atleta tem problemas nas mãos e não consegue segurar no cabo de uma raquete tradicional.

“Consegui que mão e raquete se fundissem, fiz mais de 50 tentativas e finalmente consegui”, disse o atual vice-campeão, que agora usa uma raquete, que em vez de um cabo tem uma placa com orifícios para meter os dedos.

“Vou tentar registar a patente”, remata o atleta que fez ainda um agradecimento a todos aqueles que o ajudaram a chegar onde está atualmente.