Início Atletismo “Atletismo: ameaças e oportunidades”: Resumo das intervenções dos participantes

“Atletismo: ameaças e oportunidades”: Resumo das intervenções dos participantes

274
Atletismo - Mesa Redonda no CC de Cascais

A Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), com o apoio da Câmara Municipal de Cascais, e no âmbito das Comemorações do Centenário, promoveu esta manhã, no Centro Cultural de Cascais, a mesa-redonda “Atletismo: ameaças e oportunidades”.

Esta atividade, que decorreu à margem do programa da Gala do Centenário da Federação Portuguesa de Atletismo, que acontece este sábado, a partir das 18h00, no Salão Preto & Prata do Casino Estoril, teve como objectivo partilhar experiências e perspectivas sobre o futuro da modalidade.

Na mesa-redonda estiveram presentes alguns dos nomes maiores do atletismo nacional e internacional, com destaque para o presidente da European Athletics, Dobromir Karamarinov; o vice-presidente da Federação Francesa de Atletismo, Jean Gracia; o Assessor da Real Federação Espanhola de Atletismo, Jose Luis de Carlos; além do presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Prof. Jorge Vieira; e de outros elementos da Direcção e da Estrutura Técnica da FPA.

No centro da discussão promovida pelas questões da assistência estiveram os World Rankings e o novo sistema implementado pela World Athletics (WA), tendo sido apresentadas pela FPA duas propostas de possíveis sistemas, um dos quais alargando o tipo de meetings, nos quais os atletas poderiam participar para obterem marcas de qualificação, tendo de somar mais participações consoante o nível dos meetings fosse menor.

O outro sistema proposto implicava a realização de provas de qualificação no dia anterior aos meetings da Liga Diamante e aos meetings de nível A da World Athletics, que seria aberta aos atletas que tivessem a marca definida pela WA.

Mas esta mesa-redonda começou com a visão dos convidados sobre como perspectivam o futuro da modalidade, tendo Jose Luis Carlos enfatizado que “está otimista”, embora com a noção de que é preciso adaptar o posicionamento da modalidade a uma realidade que vive cada vez mais do imediatismo das redes sociais e de transmissão em directo em diferentes plataformas do que dos formatos televisivos.

Opinião semelhante manifestaram Jean Gracia e Dobromir Karamarinov, com este último a sublinhar os desafios trazidos pela Covid-19, que “testaram a modalidade, obrigando a adaptar eventos e competições e a cancelar alguns deles pela primeira vez, sendo um excelente exemplo que nos mostrou que temos de estar preparados e reagir”.

O Assessor da Real Federação Espanhola de Atletismo sublinhou também a necessidade de serem criadas regras e fiscalização, adaptando o sistema para acolher novas formas de corrida, como o trail running.

Temos de ter uma mente aberta”. “Temos de olhar para todas as partes interessadas e analisar o que podemos mudar no nosso desporto”, acrescentou o vice-presidente da Federação Francesa de Atletismo, que sugeriu que cada Federação pudesse olhar para o documento da World Athletics World Plan for Athletics 2022-2030, que tem tudo, desde a organização à competição, a questão dos runners e definir as suas estratégias”.

Já o presidente da Europen Athletics focou a necessidade de “garantir a presença dos atletas de topo nos eventos, despertando o interesse do público” e reforçou a necessidade de “sermos flexíveis”.

Antes de serem colocadas questões pela assistência, o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo sublinhou a importância do atletismo infantojuvenil no contexto da modalidade, lembrando que “são as crianças o futuro da modalidade” e enfatizando ”a importância de promover o atletismo e as duas diferentes disciplinas nas escolas”.

Por outro lado, Jorge Vieira expressou uma das suas preocupações no que diz respeito ao futuro do atletismo.

Uma das minhas maiores preocupações diz respeito à qualificação de treinadores, atletas, dirigentes, ou seja, dos diferentes agentes da modalidade.

O programa Kids Athletics, o atletismo adaptado, a importância estratégica de competições europeias como a DNA, a Taça dos Clubes Campeões Europeus e os eventos europeus de provas combinadas e as preocupações relativamente ao sistema de qualificação para os Jogos Olímpicos foram outros dos temas em cima da mesa.

FP Atletismo