Pepe refere que Portugal tem de “aprender” para “um futuro bem melhor”

159

O internacional português Pepe referiu, este Domingo à chegada da Seleção Nacional a Lisboa, que Portugal tem de “aprender” para “um futuro bem melhor”.

Recorde-se que a equipa lusa foi eliminada do Mundial’2022 ao perder com Marrocos, por 1-0, nos Quartos-de-Final da competição.

No regresso a casa tinha cerca de 500 pessoas no aeroporto, que agradeceram os momentos vividos e deram “vivas” aos 14 jogadores que regressaram com toda a comitiva.

Os restantes 10 (Nuno Mendes e Danilo Pereira já tinham regressado a Paris) ficaram no Qatar e na região do Golfo Pérsico onde vão fazer umas mini-férias com as respetivas famílias, antes do regresso à Europa e aos clubes que representam.

A única exceção é Cristiano Ronaldo, que ainda não tem a sua situação laboral definida e o futuro pode passar pela Arábia Saudita (Al Nassr), Inglaterra (Chelsea ou Arsenal), Estados Unidos (Inter Miami) ou Portugal (Sporting).

Apesar de ter desmentido tudo, o jornal espanhol Marca garante que o jogador já assinou contrato com os sauditas do Al-Nassr, enquanto alguma imprensa portuguesa (a mais “cor-de-rosa”) garante que o jogador vai regressar ao Sporting, pois vai viver na casa construida na Quinta da Marinha (Cascais) e já tem os filhos matriculados no famoso colégio St. Julian School, situado em Carcavelos.

Voltando a Pepe e à Seleção Nacional, o central foi o porta-voz da equipa e referiu ainda que “estamos tristes por não poder dar mais a esta gente, porque se calhar não merecíamos sair da maneira que saímos, mas é o Futebol; o Futebol tem destas coisas, há que aprender com o jogo de Sábado para que o futuro possa ser bem melhor para nós”.

Sobre Cristiano Ronaldo, que saiu do relvado “lavado em lágrimas” após a confirmação da derrota e consequente eliminação, Pepe adiantou que “Cristiano Ronaldo ficou bem, é a nossa bandeira portuguesa, chega a todos os lados do Mundo; deu o seu contributo quando foi chamado e há que agradecer-lhe, a ele e a todos os companheiros também que tentaram dar o seu melhor, dar o máximo e trabalhar ao máximo para poderem estar disponíveis para o treinador; quando assim é, as coisas são mais fáceis”.

Já sobre Fernando Santos, o caso mudou de figura, pois o jogador português não se quis alongar, dizendo apenas que “eu sou jogador, e não tenho que falar se o selecionador fica ou vai embora, não vou entrar por esse caminho; há é que agradecer às pessoas o carinho, porque nós sentimo-lo”.

Recorde-se que a equipa portuguesa chegou ao Aeroporto Humberto Delgado às 17h40 (hora de Portugal Continental), 25 minutos depois da hora prevista e na saída VIP do Aeroporto centenas de pessoas esperavam a comitiva portuguesa, que ficou naquele espaço cerca de 20 minutos antes de entraram para o autocarro que os conduziu à Cidade do Futebol, no Jamor.

Pepe foi o porta-voz, mas o selecionador Fernando Santos e os jogadores William Carvalho, Rúben Dias, Diogo Costa e Gonçalo Ramos deram alguns autógrafos.

Enquanto 11 jogadores e restante comitiva viajava para a Cidade do Futebol, os 3 jogadores do FC Porto (Diogo Costa, Pepe e Otávio) ficaram no Aeroporto para poderem apanhar um avião que os levasse ao Porto, a fim de se juntarem aos companheiros que preparam afincadamente o jogo da 3ª e última jornada do Grupo A da Allianz Cup.