Início AMADORA Confissões de Filipe Martins no regresso ao Estrela da Amadora

Confissões de Filipe Martins no regresso ao Estrela da Amadora

46

Sérgio Vieira deixou vago o lugar de treinador da equipa sénior do Estrela da Amadora, após uma época bastante suada para o clube da Reboleira. No final, o técnico demissionário ajudou o emblema amadorense a manter-se na divisão máxima do futebol português.

Para o seu lugar foi chamado Filipe Martins, entretanto desvinculado do Casa Pia, onde esteve três épocas tendo conduzido a equipa ao primeiro escalão. Mas na época que agora findou, deixou o clube lisboeta à 11ª jornada, após seis jogos sem conhecer a vitória.

Ex-treinador do Real Massamá, Mafra e Feirense, Filipe Martins, hoje com 46 anos, volta ao estádio José Gomes onde fez carreira de futebolista até 1998. A partir daí passou pelo Oriental, Estoril Praia, Atlético, Odivelas, Pêro Pinheiro e Câmara de Lobos, até regressar à Amadora em 2009, em final de carreira.

Natural da Amadora, Filipe Martins aparenta ser uma escolha consensual dentro da estrutura. Diz o adágio que “o bom filho à casa retorna”. São dele as confissões que se seguem:

“Quando somos miúdos sonhamos com muita coisa. Na altura via os holofotes do estádio [José Gomes] e sonhava que podia ser jogador do Estrela. Quando me tornei treinador, alimentei tanto o sonho de aqui voltar como o desejo de fazer parte de um grupo de grandes treinadores que por aqui passaram”.

“Não existiu outro clube que me tenha marcado tanto. Não escondo que é um dia muito especial para mim, era um objectivo que tinha”.

“Agora tenho de tornar este sonho realidade, e marcar o meu nome junto destas pessoas que são muito apaixonadas por este clube”

Foto: Estrela da Amadora